Romário: o craque nas histórias em quadrinhos

Por Marcus Ramone
Data: 25 novembro, 2015

Em 2015, o ex-jogador de futebol e hoje senador Romário Faria comemorou 30 anos de seu primeiro gol como profissional.  Foi no dia 18 de agosto de 1985 que ele iniciou sua trajetória de artilheiro, ao anotar dois tentos contra o Nova Venécia, em partida realizada no Espírito Santo, atuando pelo Vasco da Gama.

E há oito anos, pouco depois de se tornar o segundo maior artilheiro na história do futebol, ao marcar seu milésimo gol – também jogando pelo Vasco, numa partida contra o Sport Recife, no dia 20 de maio de 2007 -, o Baixinho encerrou sua tão prolongada quanto vitoriosa carreira, pela qual foi celebrado nas mais diversas mídias.

A nona arte, que não poderia ficar de fora disso, retratou Romário em várias fases de sua trajetória futebolística, e não apenas nas costumeiras charges, caricaturas e tiras cômicas em que muitos jogadores costumam aparecer nos jornais e nas revistas informativas. Alguns gibis também já tiveram o privilégio de receber o craque em suas páginas.

Charge com Romário e Rê Bordosa

Na Turma da Mônica, Romário fez breves participações, na maioria das vezes sem ter o nome citado, mas surgindo no último quadrinho para contracenar com o protagonista da vez e fechar a piada.

Uma dessas pontas aconteceu em 1993, na aventura Vida de craque, estrelada pelo Cascão. No final da história, lá estava o Baixinho, ao lado de Bebeto e de outro jogador da Seleção Brasileira, dando conselhos ao garoto sujinho sobre as oscilações nos níveis de popularidade por que passam os boleiros.

Essa aventura foi ainda republicada em maio de 2006, na Coleção Um Tema Só #50 – Cascão: Futebol III (Editora Globo).

Mas foi nos quadrinhos Disney que Romário participou de uma das histórias mais marcantes de sua passagem pelos gibis. Em 1994, na série Zé nos States (publicada nos meses de junho e julho em Zé Carioca #2000 e #2001), a futura seleção campeã do Mundial daquele ano recebeu a ajuda de um “técnico” muito especial: o papagaio caloteiro, que foi acometido pelo “vírus da Copa” e fez as maiores loucuras para chegar aos Estados Unidos e assistir aos jogos da equipe brasileira sentado no banco de reservas. A série foi novamente publicada a partir de maio de 2004, em Zé Carioca #2258.

HQ com Romário

Escrita por Gérson L. B. Teixeira e com desenhos de Aluir Amâncio, Zé nos States ganhou em 1995 o XX Prêmio Abril de Jornalismo na categoria de melhor roteiro de história em quadrinhos. Já Romário, como se sabe, conquistou o demorado e sofrido tetracampeonato para o Brasil no ano anterior. E sem a ajuda do Zé Carioca.

O milésimo gol do artilheiro foi retratado numa HQ especial publicada na revista Preliminar Vasco, em 2010. Com roteiro de Brenno Dias e desenhos de Denis Mello, a história em quadrinhos destaca que o gol teve um sabor especial por ter sido marcado contra um time rubro-negro, numa clara provocação ao Flamengo, maior rival do clube cruzmaltino.

E uma das últimas aparições de Romário foi uma ponta em História do Penta em quadrinhos, publicada em 2014 no site Estadão.com.br. A HQ fez parte de uma série sobre as cinco conquistas do Brasil em Copas do Mundo.

História do Penta em quadrinhos

• Outros artigos escritos por

.