Memória Disney: a história da menstruação e o ataque da gonorreia

Por Marcus Ramone
Data: 30 julho, 2015

Um império do entretenimento tão antigo quanto prolífico como a Disney tem muitos cases de sucesso, como se diz no jargão marketista. Alguns dos mais interessantes, porém, não foram resultados de ações comerciais ou apostas em grandes produções.

Dentre outros exemplos, assim foi a incursão da empresa em iniciativas na área da saúde pública, com HQs e curtas-metragens que revelam o quanto a Disney participava dos assuntos de interesse da sociedade, algo difícil de observar em sua gestão atual.

Tudo começou em 1938, quando os estúdios criaram uma animação em que Mickey Mouse, Pato Donald e outros personagens dançam e cantam para divulgar a primeira edição do March of Dimes, campanha que, até hoje, sempre no mês de março, arrecada dez centavos de dólar por doador para a National Foundation for Infantile Paralysis (Fundação Nacional para a Paralisia Infantil), nos Estados Unidos.

A partir daí, aconteceram outras iniciativas em apoio à causa, inclusive com a participação das revistas em quadrinhos.

The Sulfa Drugs

Nesse período, veio As Drogas de Sulfa (The Sulfa Drugs), um anúncio em forma de HQ divulgado em abril de 1944 na revista norte-americana Look, publicação direcionada ao público adulto. A história mostra Mickey usando experimentos contra a gonorreia em outros ratos, até que ele mesmo toma um remédio milagroso à base de sulfanilamida. Quem também participa da inusitada aventura é João Bafo-de-Onça, o maior inimigo do camundongo.

Em 1946, foi a vez de A História da Menstruação (The Story of Menstruation) aparecer na tela grande. O desenho animado, com dez minutos de duração, foi produzido em parceria com a International Cellu-Cotton Company e fazia um merchandising matreiro da Kotex, fábrica de produtos de higiene íntima feminina.

O teor do filme é bastante brando, em tom sutil e clínico, sem fazer qualquer referência ao sexo ou à reprodução humana, mas informa sobre a naturalidade da menstruação e a importância da higiene que se deve manter “naqueles dias”. Estima-se que cerca de 80 milhões de mulheres assistiram à película nos Estados Unidos.

Muitos anos depois, em 1973, o estúdio enveredou novamente pelas plagas da saúde pública em O Plano de Ataque das DV (VD Attack Plan), com 16 minutos de animação em cores sobre as doenças venéreas.

Disney DV

Não era a primeira vez que a Disney fazia um desenho animado sobre o assunto. Em 1944, a companhia produzira um curta-metragem para os soldados que participavam da Segunda Guerra Mundial. Como o público era formado por homens adultos, o assunto não despertou celeuma, considerando-se a sociedade recatada da época.

Mas, no caso da produção da década de 1970, o objetivo era atingir estudantes adolescentes e até o departamento de marketing da Walt Disney Co. reconheceu a ousadia do empreendimento, mesmo sabendo que o tema exigia uma campanha agressiva.

Isso incluía um exército de germes da sífilis e da gonorreia saltitando na tela e até referências ao homossexualismo. Ou, ainda, o incentivo ao uso de preservativos, o que não acontecia, até então, nos filmes educativos que pregavam a abstinência sexual como o único meio de evitar doenças venéreas e gravidez indesejada.

Mais do que um badalado cult movie entre os fãs de animação nos Estados Unidos, esse trabalho tem outro motivo para ser reconhecido como uma das produções mais marcantes da Disney: até hoje, o desenho é exibido, com muito sucesso, em diversas escolas daquele país.

Assista abaixo a alguns desses vídeos na íntegra.

• Outros artigos escritos por

.