X-Men # 9 – Abril – Premium

Por Rodrigo L. Monteiro
Data: 17 abril, 2001

X-Men Premium # 9Editora: Editora Abril – Mensal

Autores: X-Men – Alan Davis & Terry Kavanagh (textos), Roger Cruz & Alan Davis (lápis), Batt, Owens, Palmiotti & Mark Farmer (nanquim), Liquid! & Marie Javins (cores); X-Man – Terry Kavanagh (texto), Mike Miller (lápis), Bud DeLarosa (nanquim), Mike Thomas (cores); Gambit – Fabian Nicieza (texto), Steve Skroce (lápis), Andy Owens (nanquim) e Shannon Blanchard (cores); Cable – Joe Pruett (texto), Rob Liefeld (lápis), Larry Stucker (nanquim), Optic Studios (cores); X-Men: Anos Incríveis – John Byrne (texto e lápis), Tom Palmer (nanquim), Greg Wright (cores).

Preço: R$ 9,90

Data de lançamento: Abril de 2001

Sinopse

Devido a toda turbulência pelos quais passaram ultimamente, os X-Men precisam de um tempo para descansar e planejar seus próximos passos. A “pausa” é interrompida com a descoberta de um invasor Skrull, na Mansão Xavier. O alienígena, no entanto, afirma ser um aliado dos heróis. E, enquanto acompanhamos a recuperação de Milhail Rasputin e a divulgação da lista dos Doze, o Monolito Vivo volta à Terra.

O X-Man também decide descansar, e procura o Quarteto Fantástico com esse objetivo. Não só isso, como também busca a ajuda de Reed Richards para entender seus poderes e, possivelmente, encontrar uma forma de impedir que os mesmos o matem. Infelizmente, um dos acólitos de Apocalipse descobre onde o mutante se encontra, e Pestilência sai em seu encalço.

Gambit, por sua vez, precisa adquirir um órgão sintético experimental para salvar a vida de Dentes-de-Sabre, que ainda se encontra por demais debilitado desde que o adamantium foi retirado de seu corpo e transferido para Wolverine. Mas o Demolidor precisa desse mesmo órgão para salvar a vida de um amigo de Matt Murdock. Além deles, o Constrictor – velho vilão presente nas histórias do Punho de Ferro e Capitão América – também quer o objeto, para conseguir se livrar de uma chantagem. A disputa acaba sendo resolvida de uma maneira inesperada.

Cable se encontra preso nos domínios de Apocalipse. Para se livrar, tem que passar não só pelo mutante imortal, como também por seu mais terrível cavaleiro: Morte. Lutas e mais lutas, durante toda a história.

Charles Xavier entra em contato com Magneto e conta tudo que sabe sobre os Doze. Enquanto isso, Apocalipse começa a capturá-los, um a um. Ele consegue aprisionar Solaris, O Homem de Gelo, Mikhail Rasputin e X-Man, além do já subjugado Cable.

Finalmente, X-Men: Anos Incríveis mostra o fim do arco de histórias na Terra Selvagem. A verdade sobre a “morte” de Magneto; Ka-Zar, Lorna e Destrutor na busca por seus amigos; a tentativa de Bobby Drake de chegar à Terra Selvagem e a desastrosa escapada dos X-Men do Paraíso.

Positivo/Negativo

A tão falada “Saga dos Doze” demora tanto para finalmente começar, que acaba tirando a empolgação. São vários meses de espera, e a esperança é que ela seja melhor do que seus prólogos, apenas regulares.

Aliás, essa edição de X-Men, como sempre, é apenas regular, sem nenhum grande destaque positivo. Vale pelo fato de revelar mais um pouco sobre os peões de Apocalipse na Saga dos Doze e ver Wolverine novamente usando suas garras de adamantium “capazes de rasgar qualquer coisa!”.

De negativo, a história do Gambit, que é interessante, mas obviamente um “tapa-buraco”, e a já conhecida arte (?) de Rob Liefeld para o Cable. O desenhista (?) usa e abusa de pin-ups para mostrar as lutas da história e, assim, consegue realçar mais ainda sua incapacidade de seguir alguns princípios básicos de anatomia e proporção.

Classificação

3,5

• Outros artigos escritos por

.