Usagi Drop # 1

Por Marcelo Naranjo
Data: 3 outubro, 2014

Usagi Drop # 1

Editora: NewPOP– Edição especial

Autora: Yumi Unita (roteiro e arte).

Preço: R$ 19,90

Número de páginas: 200

Data de lançamento: Agosto de 2014

Sinopse

No funeral de seu avô, o solteirão Daikichi Kawachi descobre que o velho tinha uma amante, com quem teve uma filha, a pequena Rin. O resto da família fica chocada e ninguém pretende ser responsável pela menina.

Irado com o descaso familiar, Daikichi resolve tomar a guarda da garota e passa a cuidar dela sozinho.

Mas criar uma criança não é trabalho fácil e ele passa a repensar sua vida e a considerar os sacrifícios que fará pelo bem de Rin.

Positivo/Negativo

Livros teóricos, matérias e artigos apontam numerosas causas para o enorme sucesso dos mangás no Japão por tantas décadas seguidas. Usagi Drop escancara ao menos uma delas: a capacidade dos quadrinhos, nas mãos certas, de tão bem expressar sentimentos, algo que boa parte do reservado povo japonês costuma guardar para si.

O leitor entra de cara no âmago de uma situação pesada de conflito familiar – o falecimento do avô leva ao descobrimento, por parte da família, de uma menina de seis anos, filha do finado com a amante, que sumiu.

O que fazer? Numa reunião tensa, se decide que a menina será levada para alguma instituição. É então que Daikichi se rebela com a decisão familiar e, sem pensar nas consequências, anuncia que vai cuidar da garota.

Ele não leva jeito com crianças. Muito menos com mulheres. E está encrencado.

E é assim, com um roteiro que em mãos menos competentes renderia um dramalhão insuportável, que a mangaká Yumi Unita delicadamente tece as bases do relacionamento entre um solteirão solitário e uma criança carente.

Situações corriqueiras na vida de tantos são novidades para esse “pai fresco” – Xixi na cama? Medo do escuro? Primeiro dia de aula? Como lidar de súbito com tanta e tamanha responsabilidade?

A adaptação para essa nova vida, em especial no trabalho, gera os conflitos que vão aos poucos sendo resolvidos quase sempre com uma pequena dose de bom humor.

Como este é só o primeiro volume, fica aberta a possibilidade de um interesse amoroso na vida do protagonista – ele próprio se pergunta como seria uma namorada com a responsabilidade que assumiu.

Outro ponto que possivelmente será abordado nos próximos números é o mistério que cerca a identidade da mãe de Rin.

Contribuindo sobremaneira com o ritmo e a intenção da narrativa, a arte fala por si, e as pequenas mudanças nas expressões faciais dos protagonistas dizem muito. Enquanto a trama sedimenta a relação entre os dois, sendo emotiva sem ser piegas, é nas entrelinhas desta ótima HQ que se percebe, quase que inadvertidamente, uma alma feminina por trás de tudo.

Não à toa, Usagi Drop foi adaptada para animação e cinema. Faltou ao álbum apenas um texto ou resumo sobre a autora da obra, sobre a qual se acha pouca informação na internet. Nada a estranhar. Afinal, não foi dito alguns parágrafos acima que o mangá expressa muito do que o reservado povo japonês guarda para si?

Classificação

4,0

• Outros artigos escritos por

.